Punido por caluniar, Mauro Rubem faz gracinhas. Mas quem persegue é ele, com suas acusações sem provas

O deputado estadual Mauro Rubem (PT), alvo de decisão liminar da Justiça Estadual por calúnias contra o governador Marconi Perillo (foi condenado a retirar de suas redes sociais posts com “alegações criminosas” sobre o governador), tentou bancar o engraçadinho dizendo, em nota, que vai criar uma “associação dos perseguidos pelo governador”.

O blog 24 Horas pergunta: quem é o perseguido, quem é caluniado ou quem tenta se defender das calúnias?

Segundo o juiz Ricardo Teixeira Lemos, da 7ª Vara Cível, o deputado Mauro Rubem caluniou o governador Marconi Perillo porque fez acusações graves a ele, governador, sem apresentar provas. Mauro disse, por exemplo, que o chefe do Poder Executivo estadual é “chefe de quadrilha”.

Só disse, não apresentou prova alguma.

O blog 24 Horas pergunta de novo: quem é o perseguido, quem é caluniado ou quem tenta se defender das calúnias, recorrendo democraticamente à Justiça, onde quem faz acusações tem toda liberdade para provar o que afirma?

O nome correto da associação deveria ser: “associação dos perseguidos pelas calúnias do deputado Mauro Rubem”.

 

LEIA MAIS:

Juízes goianos abrem mudança histórica ao impedir que imunidade parlamentar seja sinônimo de irresponsabilidade

Se quiser continuar caluniando o governador, Mauro Rubem terá que pagar R$ 1 mil por dia

Ricardo Teixeira Lemos: saiba quem é o “juiz-coragem” que condenou Bordoni, Fernando Morais e Mauro Rubem

Juiz da 7ª Vara Cível diz que Marconi “é pessoa humana” e não merece ser caluniado por Mauro Rubem

Fabiana engole o trololó de Mauro Rubem, que mente (e ela aceita) sobre o motivo real da liminar da Justiça Estadual

Afinou: Mauro Rubem diz que só fez “comentários sobre a situação do Estado”. Mentira, ele caluniou mesmo

Juiz, em liminar, diz que agressões de Mauro Rubem, a Marconi, nas redes sociais, “são criminosas”