Briga por controle acionário de faculdade pode respingar em figurão do PMDB envolvido em escândalo (sexual) de gravações

A renhida briga do diretor da Faculdade Padrão, Walter Paulo Santiago, pelo controle acionário da instituição com dois ex-funcionários pode respingar num muito conhecido figurão do PMDB, que teria sido gravado em encontros sexuais.

Segundo reportagem divulgada no DM desta sexta-feira, “o diretor da Faculdade Padrão, Walter Paulo Santiago está com uma renhida briga judicial contra seu ex-funcionário João Rodrigues de Paula Oliveira. O motivo são as investidas de João Rodrigues tentando assumir o controle acionário da Padrão, expulsar Walter da faculdade e tomar até mesmo uma casa dele que lhe havia sido cedida para morar com sua esposa”.

O DM relata ainda que “aliás, a esposa de João Rodrigues, Patrícia Mendonça de Souza Oliveira, é protagonista de outra disputa também pelo controle de uma faculdade, a Faculdade Unida de Campinas (Fac Unicamps). A assertiva de que casal que tenta unido, tomar faculdade dos outros, permanece unido, é a tônica citada pelos advogados de Walter Paulo”.

Outro trecho da reportagem diz: “A acusação de assédio sexual contra Walter Paulo teve lances de espionagem revistos em momentos recentes. Patrícia gravou conversas com Walter sem que ele desconfiasse. Esse mesmo ardil teria sido usado por ela recentemente para gravar conversas constrangedoras com uma figura proeminente da sociedade.

“Essa conversa é real e parece que existiu isso mesmo”, desabafa Walter Paulo”.

É aí que entraria o figurão do PMDB.

O caso promete desdobramentos calientes.