Juíza goiana explica decisão e rebate deputada bolsonarista investigada por “fake news”

A juíza goiana Placidina Pires usou as redes sociais para explicar a decisão em que deu liberdade para uma acusada que era “vegana”. A magistrada detalhou que o fato de a mulher ser vegana não foi o motivo da soltura, mas, sim, o estado de saúde e a condição de ré primária. Placidina direcionou a explicação para a deputada federal bolsonarista Carla Zambelli, que atacou a juíza goiana. Lembrando que Zambelli é investigada no inquérito do STF contra as fake news.

Veja abaixo o texto de Placidina:

Sobre a “vegana”, esclareço que a liberdade com monitoração eletrônica foi concedida à ré não pq ela é “vegana”, mas, pq, em função dessa peculiaridade, apresentava grave estado de saúde. Além disso, é primária, o crime não é de natureza violenta (decorrente do jogo do bicho), possui endereço certo (Advogada) e não havia risco de fuga ou de que venha a atrapalhar a instrução processual, de modo que fazia jus à liberdade provisória. O Ministério Público, inclusive, concordou com a soltura. Aliás, o benefício seria concedido a qualquer outro réu nessas condições, como aconteceu com um outro preso desse mesmo caso que contraiu COVID-19. Infelizmente, o “foco” dado à matéria choca o leitor e o induz a criticar a decisão sem conhecer o caso concreto. Lamento que pessoas sérias e que admiro tenham caído nessa pauta de “desconstrução” do Poder Judiciário. Quem me conhece sabe da seriedade do meu trabalho. Estou há mais de um ano, sozinha, à frente de uma vara de combate a ORCRM’s em Goiás. É natural, às vezes, desagradar. Qto às críticas, recebo-as com humildade e serenidade. Abs. @carla.zambelli @bolsonarosp