Lissauer decreta luto oficial na Alego e lamenta falecimento de Maguito Vilela

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB), decretou luto oficial de três dias no Poder Legislativo em virtude do falecimento do prefeito licenciado de Goiânia, Maguito Vilela, ocorrido na madrugada desta quarta-feira, 13. O político estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde o final de outubro, após contrair a Covid-19, e faleceu devido a uma infecção pulmonar aos 71 anos.

Em suas redes sociais, Lissauer logo cedo comentou a morte e manifestou solidariedade aos familiares e amigos. “Infelizmente ele não conseguiu se livrar de uma infecção pulmonar e veio a óbito nessa madrugada. Nossos profundos sentimentos de pesares a família e amigos. Que Deus possa confortar a todos nesse momento de dor”, publicou.

Pelo Twitter, o presidente do Legislativo divulgou uma foto de 7 de outubro de 2020, quando Maguito, em campanha pela prefeitura de Goiânia, visitou Lissauer na presidência da Alego. “Sempre cortês, Maguito era referência na política goiana, um líder de sucesso e grande batalhador pela vida”, afirmou.

Natural de Jataí, onde será sepultado, Maguito era advogado, professor e ocupou vários cargos na política goiana. Iniciou sua trajetória na vida pública sendo vereador na sua cidade natal, também foi deputado estadual, passando pela Alego em 1982; deputado federal constituinte em 1986; vice-governador em 1990; governador em 1994 e senador em 1998. Em 2004 venceu a eleição para a prefeitura de Aparecida de Goiânia e reeleito em 2008. No ano passado, após o então prefeito de Goiânia Iris Rezende, decidir não disputar a reeleição, Maguito foi escolhido candidato pelo MDB e eleito no segundo turno da eleição, em 29 de novembro, com 52,60% dos votos válidos.Glamurama apurou que a crise no casamento de Marina Ruy Barbosa e Alexandre Negrão já vem de tempos, mais especificamente do verão de 2019, quando estourou a história do ‘surubão de Noronha’ e a separação de José Loreto, na época casado com Débora Nascimento. Nos dois burburinhos, o nome da atriz estava envolvido e ela acabou sofrendo represálias até de amigas próximas, como Giovanna Ewbank, que se afastou de Marina. Tudo isso para falar que a família de Xande, que como já dissemos aqui é riquíssima e discreta, não achou nenhuma graça nesses escândalos envolvendo a nora e desde então passaram a pressionar a relação.

Fontes próximas à atriz garantem que foi ali que o casamento começou a degringolar. E que o casal já está separado extraoficialmente há um tempo, tanto que a ruiva já teria até engatado um novo affair. O eleito da atriz? O deputado federal Guilherme Mussi, de 38 anos, ex-marido da influencer Luciana Tranchesi e de Rebeca Abravanel, filha de Silvio Santos, e ex-namorado da também influencer Carolina Magalhães. Marina e Xande eram amigos da família Mussi, e ela, inclusive, foi madrinha do casamento do irmão de Guilherme.