Ofensa à ciência: Pazuello lança novo aplicativo e promove uso de medicamentos sem comprovação de eficácia contra covid-19

O Ministério da Saúde lançou um novo aplicativo para auxiliar profissionais de saúde a realizarem o diagnóstico de covid-19. Batizado de TrateCOV , o aplicativo incentiva a prescrição de cinco medicamentos comprovadamente ineficazes contra a doença ou cuja eficácia ainda não foi comprovada: difosfato de cloroquina, hidroxicloroquina, ivermectina, azitromicina e doxiciclina.

A plataforma também indica a dexametasona para o tratamento precoce, desaconselhado nessa fase da doença, e sulfato de zinco. São recomendações sobre as quais os Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos, bem como várias sociedades médicas, afirmam: não há tratamento precoce para a covid-19.

Uma delas é a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), que em seu informe número 16, realizado em julho de 2020, listou estudos, apontando que a hidroxicloroquina deve ser banida do tratamento em qualquer fase da covid-19.