Saúde de Aparecida imuniza 3.281 pessoas do grupo prioritário em dois dias de vacinação

Com 7,2 mil doses disponibilizadas pelo Ministério da Saúde e Secretaria Estadual de Saúde, Aparecida de Goiânia iniciou a vacinação contra a Covid-19 na manhã da última quarta-feira, 20 de janeiro. A cerimônia de abertura deu largada à logística preparada pelo município, que em dois dias já ministrou cerca da metade das doses destinadas ao grupo prioritário, conforme lote de doses recebido pela cidade. Em Aparecida, 3.281 doses já foram administradas.

Segundo cronograma do Plano Nacional de Imunização, os grupos prioritários neste momento são os profissionais de saúde que atuam diretamente no tratamento de pacientes com Coronavírus, além de idosos e pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência.

Segundo balanço realizado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), até a tarde desta quinta-feira, 21 de janeiro, todos os abrigos da cidade receberam a imunização e 15 unidades de saúde receberam as vacinas pela equipe da pasta. Ao todo, 3.138 profissionais de saúde e 143 idosos e deficientes institucionalizados foram vacinados. Os trabalhadores que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 que receberam a imunização são das seguintes unidades de saúde: Hospital Municipal de Aparecida (Hmap), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), UPA Flamboyant, UPA Buriti, UPA Brasicon, Hospital Santa Mônica, Hospital Garavelo, Encore, Huapa, UBS Expansul, UBS Tiradentes, UBS Buriti Sereno, UBS Residencial Garavelo Park, UBS Independência Mansões e Laboratório Municipal.

“Fechamos o segundo dia da Campanha de Vacinação contra a Covid-19 cumprindo o que foi planejado. Nossa previsão é terminar de aplicar as 7,2 mil doses até a próxima terça-feira”, revelou a coordenadora Municipal de Imunização, Renata Cordeiro. De acordo com ela, a determinação por parte do prefeito Gustavo Mendanha foi, desde o princípio, para que a Secretaria Municipal de Saúde lançasse mão de todos esforços necessários para vacinar o maior número de pessoas no menor intervalo de tempo. “O entendimento de Aparecida é: ainda que as doses disponibilizadas não sejam suficientes para todos, trata-se de uma emergência em saúde pública e quanto mais pessoas forem vacinadas rapidamente, mais vidas serão salvas”, afirmou.