Anápolis define protocolo de vacinação para doses da vacina de Oxford

Anápolis recebeu 4 mil doses da vacina Aztrazeneca/Oxford e, de acordo com a gestão municipal, um levantamento do número de profissionais de saúde foi realizado em hospitais públicos e privados, além de clínicas especializadas, para traçar o protocolo de imunização. O foco é atender o maior número de trabalhadores da área.

Na prática, as vacinas serão encaminhadas às unidades diariamente, sob a responsabilidade de cada instituição que fará uma prestação de contas diária de todas as doses aplicadas. O procedimento de vacinação também será sempre acompanhado por um representante da gerência de imunização do município. A expectativa é de que as doses da Oxford devem ser suficientes para atender este público-alvo.

Diante da complexidade e dimensão da categoria de profissionais da saúde, a gestão municipal divide os profissionais da saúde de acordo com a priorização: trabalhadores de unidades de saúde público e privados com atendimento exclusivo Covid-19; trabalhadores de unidades hospitalares de saúde público e privado não exclusivos Covid-19; trabalhadores de Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) e Serviço Móvel de Urgência (SAMU); trabalhadores de unidades básicas de saúde seguindo critério de risco (acima de 60 anos e, posteriormente, funcionários com fatores de risco definidos pelo Ministério da Saúde, a depender de disponibilidade de doses); mesma regra para profissionais de saúde das unidades com maior risco de contaminação (laboratórios e clínicas que realizam exames específicos para Covid-19). Em seguida, será realizada vacinação dos demais profissionais de saúde, conforme disponibilidade de doses.

Estratégia
A vacinação será realizada in loco, após recebimento de listagem de trabalhadores contendo função, local de trabalho e CPF assinada pelo responsável técnico-administrativo da instituição se responsabilizando pela veracidade das informações contidas – que será encaminhado para o Ministério Público (MP). Vale ressaltar que, embora a organização e vacinação de cada local sejam de responsabilidade do diretor técnico-administrativo, o procedimento será acompanhado por um profissional da secretaria municipal de saúde.