Caiado alerta para “crescimento exponencial” de casos de Covid-19 em Goiás

O governador Ronaldo Caiado fez apelo ao “esforço coletivo” para frear propagação da Covid-19 em Goiás no momento em que a contaminação tem avanço multiplicado por 10, conforme informou durante entrevista, nesta quarta-feira (27/01), a participar de encontro na Federação Goiana de Municípios (FGM). “Estamos assistindo uma realidade que é o crescimento exponencial, ou seja, o número de pessoas que está se contaminando num curto espaço de tempo”, disse Caiado.

Caiado pediu para a população evitar ao máximo a participação em festas e aglomerações, ao mesmo tempo em que ressaltou a importância da continuidade do uso de máscara e de álcool em gel. “Ninguém quer chegar na situação em que estão Amazonas, Rondônia e outros Estados da Federação. O momento é de muita responsabilidade e de parcerias”, ressaltou.

Caiado relatou ligação telefônica com pedido do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para que Goiás preste novo socorro ao Estado do Amazonas, cuja rede de saúde continua colapsada. Ele respondeu que existe estrutura física, mas que precisa de uma contrapartida do governo federal tendo em vista contratar recursos humanos para o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (HC/UFG). “Nos ajudem com servidores, porque nós não temos mais a mão de obra”, disse. Segundo ele, a preocupação no Estado não é o número de leitos, e sim a necessidade de equipes especializadas.

Em um alerta sobre o tratamento da Covid, o governador, que também é médico, fala que o protocolo para tratar um paciente é extremamente delicado. “Não é algo que se improvisa. Entubar um paciente, oxigenar, fazer um protocolo são regras extremamente delicadas, difíceis”, explicou. Por isso, é necessário conter a velocidade de contaminação da doença no Estado.

O novo decreto nº 9.803, do Governo de Goiás, que restringe o comércio e consumo de bebida alcoólica em locais de uso público ou coletivo já está em vigor. “Mais importante que o decreto é a conscientização das pessoas”, disse Caiado.

Sobre a possibilidade de mais restrições no Estado, o governador afirma que pode tomar novas medidas caso exista agravamento da contaminação e ocupação completa dos leitos de UTI. “Eu não me furto e não me falta coragem para salvar vidas e tomar toda e qualquer decisão”, disse Caiado.