Goiânia, Anápolis e Aparecida aparecem no ranking das 100 cidades mais empreendedoras do Brasil

Goiás tem três cidades listadas no Índice de Cidades Empreendedoras no Brasil, estudo realizado pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap) em parceria com a Endeavor. Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia são as cidades que apareceram no ranking. Apesar disso, a capital goiana está em 52º lugar, com 5,89 pontos, enquanto Anápolis, com 5,34 pontos, conquistou a 75ª colocação, e Aparecida de Goiânia na 86º posição, ao obter 5,02 pontos. No pódio das três mais está São Paulo, que lidera, seguida de Florianópolis e Osasco (SP).

O estudo teve como objetivo analisar o ambiente de negócios das 100 cidades mais populosas do Brasil, para mostrar quais delas possuem as condições mais propícias para o desenvolvimento do ecossistema empreendedor. Para a elaboração do estudo e do ranking foram utilizadas fontes públicas e abertas, resultando na análise com recorte em sete pilares determinantes: ambiente regulatório, infraestrutura, mercado, acesso a capital, inovação, capital humano e cultura empreendedora.

Esta é a quinta edição Índice de Cidades Empreendedoras, construído sobre as bases teóricas da edição 2017, quando Goiânia ficou em 21º lugar entre as 32 cidades pesquisadas, mas que traz avanços que visam a aumentar a precisão e a utilidade do índice para a elaboração de políticas públicas eficientes, que melhorem as condições de quem tem e de quem quer desenvolver um espírito empreendedor.

No quesito infraestrutura, que analisa conectividade via rodovias, distância ao portos mais próximo, acesso à internet mais rápido, preço do metro quadrado, entre outros, Goiânia se posicionou em 22º lugar, Anápolis na 42ª posição e Aparecida de Goiânia, em 56ª. Na variante mercado, a 67ª posição ficou com Anápolis, a 78ª com Goiânia e a 84ª com Aparecida. Essa determinante engloba crescimento médio real do PIB, índice de desenvolvimento humano, número de empresas exportadoras com sede na cidade, PIB per capita, entre outros.

O acesso ao capital leva em conta a disponibilidade e o custo do crédito nos municípios. Nesse quesito, Goiânia ficou em 14º lugar, Anápolis em 62º e Aparecida em 94º . No quesito inovação, que engloba infraestrutura tecnológica, patentes indústria inovadora, média de investimentos da Finep e do BNDES, entre outros, Goiânia conquistou a 47ª colocação, Aparecida a 54ª e Anápolis em 64ª. Goiânia conquistou o 33º lugar no indicador de capital humano, que considera o acesso e qualidade da mão de obra básica e da mão de obra qualificada. Anápolis ficou na 71ª posição e Aparecida na 93ª.

No quesito cultura empreendedora está a criação de novas tecnologias pelas empresas e sua aceitação e incorporação pelos indivíduos. Conforme o estudo, Goiânia ficou em 25º lugar, Aparecida em 26º e Anápolis em 31º. Foi a melhor colocação do trio de cidades goianas entre os sete pilares.