Talles Barreto apresenta balanço positivo das ações da Comissão de Educação na Alego

O balanço das atividades do biênio 2019/20, da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Legislativo de Goiás, é avaliado pelo deputado Talles Barreto (PSDB), presidente do colegiado, como um trabalho excepcional, e ele contabiliza mais de 20 sessões ordinárias, além de várias audiências públicas, e a apresentação e votação consolidada de mais de 80 processos.

Outro ponto positivo destacado pelo parlamentar foi uma maior aproximação com o setor educacional. “Trouxemos o segmento educacional aqui para a Casa, fizemos debates importantíssimos, valorizando o educador, valorizando a nossa história, a nossa cultura, valorizando o desportista”, enunciou Barreto ao pontuar as atividades.

Ele se diz satisfeito com as atividades da comissão. “Projetos importantes foram feitos, apresentados e votados. Temos certeza de que muito mais podemos fazer ainda. Nós estamos felizes com o resultado”, acentuou.

Talles ressaltou que, mesmo com as audiências limitadas a encontros remotos, em decorrência da pandemia provocada pela covid-19, em um ano em que dificuldades diferentes precisaram ser enfrentadas, entende que cumpriu a obrigação frente ao colegiado. “Com a pandemia, que limitou as nossas audiências para encontros remotos, não foi tão fácil como no ano de 2019. Mas temos certeza que o dever foi cumprido à frente dessa importantíssima comissão.”

Uso consciente da internet

Dentre as importantes matérias que passaram pela comissão, merece destaque o processo nº 2487/19, voltado à criação de uma política estadual de conscientização sobre o uso da internet. No texto, assinado pelo deputado Gustavo Sebba (PSDB), o legislador trata do uso positivo e saudável da importante ferramenta, discorre sobre os riscos oferecidos, principalmente às crianças e aos adolescentes, frente aos jogos que incitam ao suicídio e à violência, além das medidas que deverão ser adotadas diante das situações em que forem identificadas trangressões, como no caso do acesso à veiculação de material pornográfico.

A política proposta, no texto relatado pelo deputado Coronel Adailton (Progressistas), também abrange o importante papel da escola, em conjunto com a família, a fim de promover a orientação sobre o melhor uso da internet, com advertência sobre o compartilhamento de informações pessoais, e ainda adverte sobre a prática de cyberbullying e a propagação de notícias falsas (fake news).