Crise da mídia: jornais alemães estão fechando as portas um atrás do outro

A crise da mídia impressa continua se espalhando pelo mundo. Jornais e revistas estão cada vez mais inviabilizados diante do avanço da internet, por um lado, e pela incapacidade em conquistar o público jovem, por outro.

Na Alemanha, depois do Abendzeitung e do Frankfurter Rundschau, a falta de leitores e de receita publicitária levaram o Financial Times Deutschland a fechar as portas devido a graves problemas econômicos.

O jornal tinha 12 anos de existência no país e era um dos mais importantes da Europa na área de jornalismo econômico. (Na foto, primeira página da última edição do Financial Times).

alemao 1
Símbolo do fracasso: capa da última edição do jornal. Jogo de palavras “Final Times” explicita o fim

O prejuízo acumulado pelo jornal, estimado em 250 milhões de euros, causou a demissão de mais de 300 jornalistas e o fechamento de um veículo impresso que era conhecido por sua ampla cobertura de temas financeiros a nível internacional.

Para a conceituada jornalista alemã Sascha Lobo, a crise na mídia alemã não se resume a uma questão financeira: “Trata-se da própria concepção de notícia no formato que ela tem hoje. Não há mais motivos em esperar para saber dos acontecimentos no dia seguinte, se hoje em dia eu posso acessar tudo pela internet em tempo real”, opina.

Quem discorda?