Depois de cerveja e picanha, Elias Vaz denuncia compra de 150 mil kg de bacalhau pelas Forças Armadas

Depois de denunciar a compra supostamente superfatura de cerveja e picanha pelas Forças Armadas, o deputado federal goiano Elias Vaz (PSB) divulgou novos processos identificados no Painel de Preços do Ministério da Economia. Desta vez, o parlamentar verificou a compra de 9.748 quilos de filé de bacalhau e 139.468 quilos de lombo de bacalhau para as Forças Armadas.

“O lombo é o corte mais nobre do bacalhau, usado para pratos requintados e caros em restaurantes sofisticados, algo muito distante do cardápio da maioria dos brasileiros”, explica o deputado.

Segundo ele, neste caso também há a suspeita de superfaturamento. O congressista esclarece que, em um dos processos foi pedido 1.195 quilos de bacalhau salgado eviscerado, ou seja, a peça inteira, sem cabeça e pele, para o Comando da Marinha, com o preço estipulado por quilo de R$ 86,88.

“Os valores causam estranheza porque na peça vem tudo, não só a parte nobre, não justifica o preço estipulado. Além de ser um luxo inadmissível para ser pago com recursos públicos, ainda há sobrepreço. Esse dinheiro deveria ser aplicado na Saúde e na Educação e não nessas regalias.” Elias diz, ainda, que para compra de 40 quilos de bacalhau desfiado para o Comando do Exército ao custo de R$127,93 o quilo.