Misael usa dinheiro público para pagar pelo menos sete shows religiosos e sertanejos

Sob alegação de que usaria o dinheiro para construir escolas, o prefeito de Senador Canedo, Misael Oliveira (PDT), determinou, na sexta-feira, o cancelamento do show gratuito que o cantor Leonardo faria no município dois dias depois às custas da prefeitura, para comemorar o Dia dos Pais. Mas o histórico administrativo de Misael mostra que ele não é tão responsável com dinheiro público quanto finge ser.

O blog Goiás24Horas fez um rápido levantamento de outras apresentações artísticas que custaram caro para população de Senador Canedo. Foram pelo menos sete desde que o pedetista foi eleito.

Antes mesmo de tomar posse, ele e o seu antecessor, o ex-prefeito Túlio Sérvio (PSB), concordaram em desembolsar uma grana do erário para bancar uma apresentação do sertanejo Cristiano Araújo na Praça Criativa do Jardim das Oliveiras. Consta no release da assessoria do prefeito que participaram Vanderlan Cardoso (PSB) e os deputados federais Rubens Otoni (PT) e Sandro Mabel (PMDB).

Ainda antes de tomar posse, Misael convenceu Túlio Sérvio a financiar a cantoria de Di Paulo e Paulino em frente a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) inaugurada pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, em 18 de dezembro de 2012.

A farra com dinheiro público correu solta outra vez no Rodeio Show do município, realizado em maio. Os recursos da prefeitura engordaram os bolsos de uma constelação de artistas que vieram se apresentar no município, entre eles o gospel André Valadão, o padre Fábio de Melo e os sertanejos Henrique & Juliano, Michel Teló e Zé Ricardo & Thiago.

Gosta de uma festa, hein Misael?