Relator diz que CEI da Amma não avança por falta de estrutura. Vergonha na cara mudou de nome?

O vereador Tayrone di Martino (PT), um dos pitbulls do prefeito Paulo Garcia (PT) na Câmara Municipal, rebolou para justificar a sua recusa em dar apoio à criação da CEI dos Supersalários da prefeitura.

Tayrone é relator da CEI que apura venda de licenças ambientais na Amma, e disse à Rádio 730 AM que foi contra a CEI dos Supersalários porque a Câmara não teria, segundo ele, material técnico e humano suficiente para dar suporte a duas comissões simultaneamente.

A falta de suporte, aliás, seria o motivo que também explicaria a lentidão na CEI da Amma.

É muita mentira e conversa fiada para um vereador só.

Em primeiro lugar, ninguém em sã consciência acredita que a CEI da Amma estacionou por falta suporte humano e técnico. A CEI não avança, na verdade, porque os pivôs das denúncias são os vereadores Paulo Borges (PMDB), Wellington Peixoto (PSB) e administração do prefeito Paulo Garcia (PT).

Em segundo lugar, Tayrone falseia a verdade aos expor motivos que o teriam levado a negar sua assinatura à CEI dos Supersalários. Tayrone não assinou porque o prefeito não quis.

A pressão foi tão grande que, do dia para noite, oito vereadores retiraram as suas subscrições. Um deles foi Paulo Magalhães (PV), que de maneira suscinta justificou seu recuo: “aqui na Câmara a música é diferente. A caneta é que manda”.

O lero-lero de Tayrone é tão insustentável que, apesar de ser contra a CEI com poderes de polícia, ele é a favor de uma Comissão de Trabalho para apurar o contracheque dos marajás. Ué… mas uma Comissão de Trabalho não demandaria o mesmíssimo apoio dos funcionários do Legislativo Municipal?

Mentira e enrolação tem pernas curtas. Tayrone mais uma vez tropeçou nelas.