Tuiteiro diz que dupla Renato e Edmilson atrapalha tanto Paulo Garcia que deve ser paga pela oposição. Será que é?

opoltico
Boa pergunta: quem paga Renato e Edmilson?

O secretário de Comunicação da Prefeitura de Goiânia, Edmilson Santos, e o marqueteiro Renato Monteiro viraram motivo de piada no meio político e nas redes sociais.

Ambos são responsabilizados pela péssima política de comunicação da prefeitura, que não impede a desconstrução da imagem de Paulo Garcia (PT) e a disseminação da tese de que Goiânia vive os piores dias da sua história. “Edimilson e Renato Monteiro recebem de quem? Da Prefeitura de Goiânia ou de partidos opositores? Pq o desserviço está show!”, perguntou o perfil @OPoltico no dia 13 de agosto aos seus 1.952 seguidores.

As críticas à dupla de incautos atingem um amplo espectro de falhas, erros e defeitos. Os aliados de Paulo Garcia reclamam até do temperamento explosivo e agressivo dos dois e a pouca disposição deles para diplomacia. Edmilson, por exemplo, já interrompeu o expediente para cutucar a TV Anhanguera no Twitter, ofender jornalistas que não rezam a cartilha do PT e até tripudiar sobre o promotor Fernando Krebs e o Ministério Público. Um show de caneladas que não convém a quem ocupa um cargo de confiança do prefeito.

Mas se Edmilson tem pavio curto, seu parceiro de boteco copo-sujo, Renato Monteiro, é muito pior. Só para ficar em alguns poucos exemplos, dia desses ele chamou análises da ex-amiga Fabiana Pulcineli de “cabotinas”, acusou o presidente da OAB, Henrique Tibúrcio, de atender os interesses do governo estadual e esculhambou os veículos de comunicação do Grupo Jaime Câmara (O Popular e TV Anhanguera), a quem acusou de blindar o governo e direcionar a crise na Saúde para o colo da prefeitura.

É unânime: todos dizem que Renato e Edmilson perderam o trânsito que tinham no meio jornalístico – se é que algum dia já tiveram algum. Afinal de contas, quem aguenta ouvir bordoadas de dois cidadãos que não toleram e não sabem conviver com o contraditório?

O mais grave é que os pecados da dupla não se resumem ao temperamento instável. Chegam a esfera profissional.

São críticas públicas e bastante conhecidas. Motivaram inclusive um dos artigos de Fabiana Pulcineli que despertaram a ira de Renato. Nesse artigo, Fabiana dizia que a capacidade de resposta do prefeito aos fatos negativos da sua administração é ridícula e que, se Paulo Garcia pensa ter a razão em um debate, ele deveria apresentar seus argumentos com maior rapidez e eficiência.

Se não apresenta, a culpa é da turma da comunicação.

Quem se lembra do episódio das mudanças no Plano Diretor? A sociedade inteira foi contra, mas Paulo Garcia bancou as alterações porque dizia ter um estudo técnico que as convalidava. Renato e Edmilson nunca apresentaram esse tal estudo à imprensa – se é que ele existe. E Paulo perdeu mais uma guerra na opinião pública.

Pensando bem, talvez @OPoltico tenha razão. É desserviço demais para tão pouco tempo.

Será que a dupla trapalhona é mesmo paga pela oposição?