Nilson Gomes afirma que Marconi está com o discurso pronto para novo mandato

Veja texto assinado pelo jornalista Nilson Gomes no jornal A Rede:

 

MARCONI 1, 2, 3, 4

Pronto discurso para novo mandato

Governador já sabe como enfrentar adversários, armado de números, que coleciona e se tornaram obsessão

 

Nilson Gomes

 

Vá ao portal730.com.br ou ao site de A Rede e confira, em áudio, vídeo e texto, as entrevistas dos aliados do governador Marconi Perillo. Observe que eles têm números na ponta da língua. Dizem até as frações, para evitar a impressão de que esteja chutando. Os principais auxiliares, Giuseppe Vecci (Planejamento) e Jaime Rincón (Obras), falam em centavos e dinheiro trocado. As pessoas atendidas no Governo Junto de Você, o mutirão estadual da saúde, foram 802.702, não “mais de 800 mil” ou “quase 1 milhão”. Mais que uma coincidência é uma estratégia. Está em voga o discurso de Marconi para tentar obter o quarto mandato de governador.

Mais que um método, é uma obsessão. Marconi quer a medida exata de asfalto, a quantidade correta de moradores beneficiados, o tanto certo de salas de aula, os reais contados do investimento. No clima de confronto de uma campanha, o governador evita ser desmoralizado com anúncios falsos. A nova palavra-chave, comparação, será apregoada pelo exército de marconistas espalhados por todas as bibocas de Goiás. O encontro de aliados do governo em Trindade, no fim da semana passada, foi um festival de números. Todos os discursos foram recheados de informações. Mais que uma obsessão, é um métodos. Se vai dar resultado positivo ou não, é aguardar as urnas. Mas até elas serem ligadas, o governo não vai desligar a calculadora.

Ao alcance da mão

Ao dizer quantos metros quadrados tem a escola, Marconi abre espaço para a comparação: o colégio feito pelo adversário era menor e não é uma opinião, mas os dados frios saídos da maquininha do celular. Ou seja, ainda que empate em estabelecimentos erguidos, vence em área construída. O computador portátil de cada secretário, no telefone ou notebook, tem cada dado do governo. Antes das entrevistas de falar em público, a autoridade está municiada de informações. Atática do governo é deixar os opositores sem resposta. E, caso respondam, serão confrontados com os números. Se contra fatos não existem argumentos, contra os números não existem sequer sílabas.

Os inimigos do governador poderiam apelar para a desconfiança, desmentindo os números. Mas não contavam com a astúcia de Rincón. O balanço da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas, a Agetop, presidida por Rincón, detalha até as filigranas de uma rodovia. Por isso, nas entrevistas, o presidente não simplesmente arrola a duplicação de uma GO, diz quanto se gastou em massa asfáltica, de onde saiu o dinheiro e até há quanto tempo a obra ficou à espera de transformar promessa em realidade. No caso, por exemplo, da duplicação entre Inhumas e Itauçu, Rincón lembra ao interlocutor que o trecho é mais complicado que entre Goiânia e Inhumas e está sendo feito em prazo 41 vezes menor. Assim, caso alguém questione, os cabos eleitorais de Marconi vão assegurar que ele é 41 mais rápido que os adversários. Claro, os adversários no PMDB, já que os dois grupos se revezam no poder desde a volta das eleições diretas para governador, em 1982.