Procuradores e promotores podem tuitar em horário de expediente e ainda por cima usando equipamento do Estado?

Essa é uma discussão que promete render.

Em Goiás, há pelo menos um procurador de Justiça (federal) e vários promotores estaduais que postam mensagens – muitas vezes banais ou eminentemente pessoais – em suas redes sociais, principalmente no Twitter, em horário de expediente.

Se isso ocorre em horário de expediente, há duas questões de moralidade pública a levantar:

1 – Para acionar suas redes sociais, eles provavelmente estão usando equipamentos, isto é, computadores de propriedade do Poder Público. Isso é legal?

2 – Se estão tuitando ou postando no Facebook, por exemplo, estão se valendo de um tempo – o expediente – que é remunerado pelo Poder Público e, aliás, muito bem remunerado. Isso é legal?

Um exemplo ocorrido nesta terça-feira, em pleno horário de expediente, mostra a seriedade dessa questão: um procurador da República, olha só, lotado em Goiás, postou no seu Twitter que “Walterror, o artilheiro de peso do Goiás, foi o destaque do Globo Esporte de hoje”.

Tem lógica?

A pergunta, então, é clara: postar mensagens nas redes sociais, no horário de expediente, usando computadores públicos (ou não?), é legal?

Eis uma questão que precisa ser respondida.

 

LEIA MAIS:

Promotor e procurador passam horário de expediente tuitando a cada 15 minutos. Como fica o trabalho?