Gastança de Dilma com propaganda na Petrobras foi de 547 milhões nos dois primeiros anos de mandato

Veja matéria do site do PSDB:

 

Petrobras revela que gastou R$ 547 milhões com propaganda em dois anos

A gastança da Petrobras com propaganda no governo Dilma Rousseff impressiona: foram usados R$ 547,3 milhões nos dois primeiros anos do mandato. O número foi informado pela estatal em resposta ao requerimento do deputado Antonio Imbassahy (BA), líder da minoria no Congresso. Segundo o parlamentar, de janeiro a abril deste ano, foram R$ 147,4 milhões. Para Imbassahy, nesse ritmo a empresa gastará muito mais que em 2012: R$ 274,5 milhões. “Mais uma vez o governo federal inverte as prioridades, destinando para a publicidade recursos que deveriam ser aplicados no crescimento da estatal”, ressaltou o tucano.

Para Imbassahy o excesso de gastos acontece num momento crítico e de perdas sucessivas da Petrobras no ranking das petroleiras. O constante investimento em publicidade é, na opinião dele, uma tentativa irresponsável para mascarar a crise financeira.

Conforme apurou o jornal “O Estado de S. Paulo”, nos dez anos da gestão PT já foram torrados R$ 16 bilhões com propaganda, em valores corrigidos pela inflação. Dilma Rousseff gasta, em média, 23% a mais que Lula.

Em artigo recente, o deputado Nilson Leitão (MT) explica que o montante aplicado em propaganda pelas duas gestões petistas é suficiente para construir mais de 170 mil casas populares semelhantes às do programa Minha Casa, Minha Vida. Com R$ 1 bilhão, o governo poderia comprar 8,5 mil mamógrafos (aparelho essencial para a saúde pública). Cerca de 30 mulheres morrem por dia no país vítimas de câncer de mama, segundo o parlamentar.

A volumosa quantia de R$ 16 bilhões para publicidade é maior até que o investimento anunciado pelo governo para o programa Mais Médicos até 2014, conforme artigo do deputado Carlos Roberto (SP). “É dinheiro do contribuinte sendo usado para fazer propaganda de uma gestão que não agrada. É uma tentativa desesperada de quem busca se manter no poder a qualquer custo. Neste caso, um custo astronômico pago pelo próprio povo”, lamentou.

A falta de credibilidade no governo vem dos gastos elevados e baixos investimentos, acredita o deputado Vaz de Lima (SP). Para ele, o governo devia fazer o dever de casa. “A primeira lição seria gastar melhor, evitar ao máximo os gastos correntes, principalmente aqueles para ajudar a companheirada e criar instrumentos de controle para não deixar os recursos escaparem pelos dedos”, enumerou.

(Reportagem: Edjalma Borges/ Foto: Alexssandro Loyola/ Áudio: Elyvio Blower)