Sina do vereador Djalma, hoje e no passado, é lutar contra arroubos autoritários

A foto em destaque foi distribuída pelo vereador Djalma Araújo (PT) há pouco aos colegas presentes no plenário da Câmara. Minutos depois, seria votada – e aprovada – censura pública ao petista por críticas feitas ao presidente da Casa, vereador Clécio Alves (PMDB). A censura foi articulada por Clécio com apoio da líder do governo municipal, Célia Valadão (PMDB).

A punição ao vereador teve apoio de toda a bancada do PT, partido que por enquanto abriga Djalma. Ao que consta, não por muito tempo. Parece insustentável a manutenção do relacionamento entre o vereador e o partido que ele ajudou a fundar, há mais de trinta anos.

Sempre à esquerda, Djalma peitou a ditadura e as tentativas de cerceamento à liberdade de expressão. Triste sina do vereador, envolvido outra vez na batalha inglória contra o cabo de chicote e os poderosos que o empunham. A censura não vai calar o bom senso. Pelo contrário: haverá de tornar o grito ainda mais estridente.