Só faltava essa: Câmara Federal cria a figura do deputado presidiário, ao não cassar Natan Donadon, ex-PMDB

Um dos destaques – alvo de manchetes e fotos generosas nas primeiras páginas – diz respeito ao imbróglio criado pela Câmara dos Deputados, que ontem manteve o mandato do deputado Natan Donadon (ex-PMDB-RO), preso desde junho, em Brasília, após ser condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) há mais de 13 anos de prisão pelo desvio de R$ 8,4 milhões da Assembleia de Rondônia por meio de contratos de publicidade fraudulentos.

Em votação secreta, o plenário da Câmara registrou 233 votos pela cassação (24 a menos do que o mínimo necessário), contra 131 pela absolvição e 41 abstenções.

A Folha de S. Paulo resume: “o resultado mostra que pode haver resistência da Casa que terá de decidir sobre o mandato de quatro deputados condenados no mensalão”.