Codorna, Donizete Cabrito e Jean Serradourada: as “lideranças de peso” nas reuniões de Vanderlan no sudeste

A “agenda movimentada”, conforme ele próprio postou no Facebook, do empresário socialista Vanderlan Cardoso (PSB) por 10 municípios do sudeste goiano foi acompanhada, segundo também afirmações dele mesmo, por um “grande número de lideranças políticas de expressão”.

O blog 24 Horas respeita todas as pessoas que “acompanharam” Vanderlan nessa rodada de reuniões, que, na verdade, não passou de um fiasco, mas a verdade é que não houve nenhum político de peso nem muito menos nenhum nome sequer minimamente reconhecido participando dos encontros do pré-candidato socialista.

Confira você mesmo leitor (vamos transcrever textos postados pelo próprio Vanderlan) quais foram as “lideranças de peso” que estiveram na “agenda movimentada” do empresário:

“Urutaí:Fiz uma visita ao prefeito em exercício de Pires do Rio, o vice-prefeito José Antônio (PT). Estavam presentes no reunião os vereadores Ivo Barbosa (PTN), Tevilo (presidente do PP), Cleibinho (PSD), Amélia (PT), Sinésio Chaveiro (PT do , Ruimar da Lajota (PSD), Cleide do Gulas (PT do B) e Codorna (PHS)”.

Olha só: o vereador Codorna foi prestigiar Vanderlan.

Mas vamos em frente.

Um outro grupo de “lideranças de peso” foi reunido por Vanderlan em Pires do Rio. Vamos às suas palavras textuais, novamente:

“Cheguei na prefeitura de Pires do Rio acompanhado do Joaquim Liminha, presidente do PSC; Gercyley Batista, vice-presidente do PRP; Kézia Borges, presidente do PRP Mulher; Diogo, PRP Jovem; Donizete Cabrito, pré-candidato a deputado do PSB de Piracanjuba; do Jean Serradourada, liderança de Santa Cruz; e do Ronnie Pessoni, coordenador do PSB Goiás da região”.

Veja bem: Donizete Cabrito e Jean Serradourada também estavam lá, igualmente prestigiando Vanderlan.

E o pior é que a maioria das “lideranças de peso” anunciadas por Vanderlan são políticos municipais que integram outros partidos e que jamais apoiarão o pré-candidato socialista.

Dá pra entender esse estilo de fazer política?