“Reitero que não sou investigado”, disse Samuel no dia 20 de setembro. Ele mentiu

Apesar da grande quantidade de fatos que vieram à tona desde o dia 20 de setembro, fazem apenas cinco dias que a Polícia Federal deflagrou a Operação Miquéias.

Naquele dia, o deputado Samuel Belchior (PMDB) manifestou-se em público pela última vez, deu entrevista à imprensa e escreveu no Twitter: “reitero que não sou investigado”.

Horas depois, o conteúdo do inquérito da PF mostrou que a Polícia via Samuel como lobista da operação criminosa que desviou R$ 300 milhões de institutos de previdência municipais.

Samuel era parceiro da louraça Luciane Hoepers, a quem chamava de Lu, chefa, a quem elogiava constantemente a beleza e prometia continuar “trabalhando bonito” por ela.

Samuel mentiu.