Nomes da oposição têm mais problemas que vantagens para eleição de 2014

As oposições em Goiás vivem momento difícil: daqui a um ano e meio haverá eleições para governador e é preciso, desde já, começar a se preparar para a disputa, mesmo porque o candidato a ser enfrentado – o governador Marconi Perillo – já está em campanha pelo simples fato de que goza da vantagem da boa visibilidade proporcionada pelo cargo que ocupa.

Vontade de vencer Marconi, as oposições têm. O problema é como. Até agora, são quatro os candidatos cogitados, nenhum com disposição para ceder a vaga em nome de uma suposta unidade do bloco.

Todos os quatro candidatos – Vanderlan Cardoso, Iris Rezende, Ronaldo Caiado e Júnior Friboi- carregam problemas pessoais e políticos quase insolúveis. Senão vejamos:

Vanderlan Cardoso – Não fala bem, está isolado em um pequeno partido (o PSC), é um empresário muito rico, mas não gosta de gastar na política. Tem dificuldades para montar a chapa, pois faltam bons nomes para vice e para senador. Na eleição passada, teve que lançar um cantor sertanejo, Renner, para o senado, o que terminou em fiasco eleitoral.

Iris Rezende – Bom de discurso, mas não consegue superar o arcaísmo das idéias e da visão de mundo. É milionário, mas também não gosta de gastar na política. Tem boas alianças à disposição, como o PT, por exemplo, e bons nomes para vice e senatoria. Em 2014, terá 81 anos e uma saúde cada vez mais vulnerável, que hoje é apontada como problema até pelos seus companheiros mais fiéis.

Ronaldo Caiado – Bom de discurso, mas sempre agressivo demais. Sua ausência de perfil majoritário, isto é, sua incapacidade para montar alianças dado ao ostensivo perfil autoritário, é sua maior fragilidade. Dele, se diz que ganhará todas as eleições que disputar para deputado federal, mas não passa nem perto de mandatos como o de governador ou de senador.

Júnior Friboi – Não tem nada, a não ser dinheiro – supõe-se. Péssimo de discurso, é incapaz de dar uma entrevista a jornalistas mais atilados. Está sozinho no PSB e não tem nomes para vice e senatória. Famoso pelas trapalhadas e declarações excêntricas, há quem aposte que devido ao despreparo não conseguirá sequer chegar à reta final como candidato.

Como se vê, por ora, o quadro é favorável ao governador Marconi Perillo, no comparativo direto das qualidades pessoais e políticas entre os pré-candidatos.