Mais de O Popular: PF pediu prisão de Samuel e revistou casas de três prefeitos

De acordo com reportagem de O Popular, o documento mostra que a PF pediu a prisão temporária e o bloqueio de bens de Samuel. Embora tenha negado os pedidos, o desembargador federal Cândido Ribeiro diz que “existem veementes indícios de que ele seja responsável por intermediar contatos entre Luciane Hoepers (“pastinha”) e políticos de Goiás, Mato Grosso, Acre, etc., praticando atos que, em tese, configuram delitos previstos nos artigos 288 (formação de quadrilha) e 332 (receber vantagem a pretexto de influir em ato praticado por funcionário público no exercício da função) do Código Penal”.

O desembargador diz que a prisão não se mostra indispensável à investigação. Três prefeitos tiveram as casas revistadas pela PF: de Pires do Rio, Luiz Eduardo Pitaluga da Cunha, o Gude; de Montividiu, Suely Gonçalves Cruvinel, e de Itaberaí, Carlos Roberto da Silva.