Operação Miqueias atinge em cheio o PMDB e partido paralisa processo de atração de filiações

Giro informa que “diante do desgaste político enfrentado pelo presidente do PMDB, deputado estadual Samuel Belchior, que aparece em interceptações telefônicas e é citado (o colunista diz “citado”, mas o parlamentar está indiciado) pela PF na investigação de esquema de fraudes em fundos de previdência municipais desvendado pela Operação Miquéias, o partido praticamente paralisou o processo de filiações nesta semana, a penúltima antes do prazo final estabelecido pelo TSE (5 de outubro). No comando do partido, Samuel coordenava esse trabalho, que foi interrompido para ele preparar sua defesa. Peemedebistas afirmam que o deputado passou os últimos dias estudando o processo e avaliando se deve se pronunciar nas próximas sessões da Assembleia Legislativa. Vale lembrar que o primeiro vice-presidente é o deputado federal Leandro Vilela, citado em conversas do grupo. Por conta da paralisação, a executiva do PMDB se reunirá segunda-feira para pedir esforço para os membros do diretório e prefeitos. A reunião de segunda será a que estava marcada para o início desta semana, onde José Batista Júnior seria cobrado a apresentar filiados ao PMDB. A pauta permanece.”