Leitor da IstoÉ, que vende crack, se considera mais honesto que Samuel Belchior: “Pelo menos é o meu dinheiro…”

O site da revista IstoÉ registra centenas de comentários de leitores sobre a matéria desta semana sobre as atividades da quadrilha que desviava recursos de fundos municipais de pensão e traz novas revelações sobre o envolvimento do deputado estadual Samuel Belchior, do PMDB, com a “pastinha” Luciane Hoepers.

Segundo a Polícia Federal, tanto Luciane quanto Samuel trabalhavam como lobistas e intermediários da organização criminosa junto a prefeitos e políticos de Goiás, Mato Grosso e Acre.

Um leitor da IstoÉ postou, no espaço reservado aos comentários sobre a reportagem, uma consideração interessante. “Vendo umas pedrinhas, fuminho, pozinho… mas não gosto de políticos e nem de funcionário publico, meu trabalho é picaretagem privada”.

Ou seja: assim como Samuel Belchior, “sou um bandido”, mas, pelo menos, “é o meu dinheiro”.