Título do artigo de Fabiana desta segunda diz tudo: “PMDB desgovernado”. E não é só com o caso Samuel Belchior

O título do artigo da repórter política de O Popular, na edição desta segunda-feira, não poderia ser mais apropriado para resumir a situação do PMDB goiano depois do escândalo envolvendo o presidente do partido com uma quadrilha que desviava recursos de fundos de pensão e foi desbaratada pela Polícia Federal.

“PMDB desgovernado”, texto de Fabiana Pulcineli na página 10 de O Popular, relata a desorientação que tomou conta do partido assim que explodiu a Operação Miqueias, há exatos 11 dias, quando se noticiou que a casa do deputado Samuel Belchior havia sido vasculhada por agentes federais e que ele fora conduzido coercitivamente para depor na sede da PF.

Fabiana chama a atenção para dois fatos: 1) a ausência de explicações do deputado Samuel Belchior, que acabou contaminando todo o partido e 2) a falta de articulação do PMDB no enfrentamento do episódio, com movimentos erráticos e declarações apressadas dos seus principais líderes, como Iris Rezende, que acabaram complicando ainda mais a situação de Samuel Belchior.

Para a jornalista, o partido navega sem rumo na política de Goiás e não só por causa de Samuel Belchior: ela critica a filiação do cantor Zé Rico, que não soube responder a uma pergunta sobre alguma possível ideia sua para o exercício do pretendido mandato de deputado federal. E lembra que Iris, ao abonar a filiação do artista, disse que “gente como Zé Rico enriquece o partido”.

“É o que o PMDB tem de novo para mostrar”, ironiza Fabiana Pulcineli.