O horror, o horror: mesmo se não houvesse corrupção, um deputado ensinando uma mulher a seduzir é trágico

As conversas telefônicas grampeadas pela Polícia Federal, com autorização judicial, expõem seriamente – mas muito mesmo – o deputado estadual, presidente regional do PMDB e homem Samuel Belchior.

O horror, o horror: Samuel é flagrado dando aulas a uma mulher sobre como se comportar para seduzir políticos e, segundo a Polícia Federal, atraí-los para um esquema de corrupção, baseado no desvio de recursos de fundos previdenciários municipais.

Samuel, que apresentava marmanjos a Luciane Hoepers, a certa altura comenta com ela, segundo a sua própria voz nas gravações da PF: “Você está conseguindo coisas que eu nunca consegui”, referindo-se à blitz da superloira sobre o deputado Daniel Vilela – que, segundo Luciane, ficou de apresentá-la ao pai, Maguito Vilela, prefeito de Aparecida, e ainda assegurou, ele, Daniel, que “vai dar negócio”.

As gravações mostram Samuel combinando viagens, preocupado também com o “poder” físico de Luciane Hoepers. Mas ele orienta: “Uma coisa leva a outra”. Em português claro: entra com a beleza, seduz e vamos arrumar bons negócios.

Esse é o presidente estadual do PMDB, o principal partido de oposição do Estado.