Professores da rede municipal de ensino rejeitam intermediação e acusam Sintego de ser pelego da Prefeitura

Os professores da rede municipal de ensino, que estão em greve, rejeitaram nesta sexta-feira, em assembleia geral, a intermediação do Sintego junto ao prefeito Paulo Garcia (PT).

Segundo o Jornal Opção Online, que ouviu um dos coordenadores da greve, os professores municipais entendem que “o Sintego tem clara relação partidária com a Prefeitura” e por isso carece de credibilidade para representar a categoria.

O sindicato é pelego da Prefeitura e está atuando contra os grevistas, dizem os professores.

E, de fato, o Sintego é contra a greve, garantindo que a Prefeitura de Goiânia já atendeu aos professores.

Mas, pelo que se ouviu na assembleia desta sexta, essa posição não é compartilhada pelo movimento grevista.

O coordenador ouvido pelo Jornal Opção Online explicou que essa greve é diferente, as reivindicações não se focam em um ponto específico, como quer o Sintego: “Queremos uma real valorização dos educadores”.

De acordo com ele, a estrutura precária das escolas precisa ser resolvida e esse, por exemplo, é um grande pedido da categoria.

“A integridade dos alunos é muitas vezes colocada em risco. Queremos condições para dar educação de qualidade”, acrescentou o professor.