Professores grevistas ocupam as redes sociais com campanha chamando o Sintego de “pelego”

Uma campanha contra o Sintego, promovida pelos professores municipais de Goiânia, toma conta das redes sociais, principalmente o Facebook e o Twitter.

Inúmeros banners denunciam o Sintego como um “sindicato pelego”, que traiu os trabalhadores da sua base, no caso os professores municipais em greve e ficou ao lado do “padrão”, no caso o prefeito Paulo Garcia (PT).

No Facebook, centenas de professores publicam posts e imagens pichando o Sintego.

Em um deles, esse que está aí na ilustração desta nota, foram colocadas as fotos da presidente do Sintego, Ieda Leal, e da tesoureira, Bia de Lima, que se desdobram em declarações apoiando a Prefeitura e condenando a paralisação dos professores municipais.