Greve dos professores municipais é ilegal, diz Iêda. Quem diria: é a pelegada do Sintego jogando duro contra os trabalhadores

O Sintego está trabalhando como pode para ajudar a Prefeitura de Goiânia a resolver a greve dos professores municipais.

Equipes financiadas pelo sindicato estão percorrendo as escolas municipais, levando folhetos com material explicando que a greve é ilegal e que os professores devem retornar imediatamente às aulas.

A presidente do Sintego, Iêda Leal, se desdobra em declarações à imprensa, atacando o movimento grevista e, agora, a ocupação do plenário da Câmara Municipal pelos professores municipais.

Um dos argumentos de Ieda contra a greve é que “o pagamento está em dia”.

Outro é que a greve atrapalha as negociações com a Prefeitura.

Mas, mesmo com a ação do Sintego, a paralisação continua. Cerca de 80% dos professores municipais não estão comparecendo às salas de aula. Nas redes sociais, o apoio ao movimento grevista cresce a cada dia.