Hoje, 17 de outubro, dona Iris completa 5 meses como presidente da Fundação Ulysses. Cadê as propostas?

Exatamente no dia 17 de maio e exatamente há cinco meses, a deputada federal dona Iris Araújo assumia a presidência estadual da Fundação Ulysses Guimarães, órgão de estudos e pesquisas do PMDB nacional.

Ela mesma, no discurso de posse, reconheceu que para um partido de oposição só críticas não bastam e que é preciso apresentar para a população um plano alternativo de Governo. Para os gatos pingados que sequer lotaram a sala onde da posse, dona Iris anunciou que a partir daquele momento estava assumindo a missão de preparar o planejamento do PMDB para o futuro de Goiás.

Qual o quê?

Cinco meses e nada. O tal “planejamento do PMDB” não saiu do discurso de dona Iris. Nenhuma proposta foi apresentada até hoje. O PMDB quer voltar ao poder, mas não sabe dizer por que e a partir de qual plataforma de propostas para o Estado.

Dona Iris sequer tem comparecido à sede da Fundação Ulysses. Nunca promoveu um seminário. Nem mesmo uma reles palestra. O partido, em Goiás, continua um deserto de ideias.

A própria deputada segue a sua tediosa rotina de disparar ataques raivosos e agora até distribuindo críticas mesmo contra colegas de partido.

Cadê o plano de Governo do PMDB?