Constrangedor: prefeito do Partido dos Trabalhadores, Paulo Garcia, não aceita dialogar com… os trabalhadores

Ao encerrar as negociações com os professores municipais em greve, que aliás se resumiram a uma única reunião no Paço Municipal, o prefeito Paulo Garcia criou uma contradição difícil de explicar: como é que um prefeito do Partido dos Trabalhadores não aceita dialogar com… os trabalhadores.

Paulo Garcia vem se mantendo intransigente e radical. Depois de 20 dias de greve, resolveu aceitar uma única reunião com os educadores municipais em greve. Apresentou uma carta de intenções, sem nada de concreto para a categoria, que, lógico, recusou e resolver manter a paralisação.

Contrariado, o prefeito decidiu encerrar as negociações. A greve já se aproxima de um mês de duração e ameaça perturbar as comemorações dos 80 anos de Goiânia, além de se prolongar na constrangedora – para a Prefeitura – ocupação do plenário da Câmara de Vereadores.

Pois é: o prefeito do Partido dos Trabalhadores não aceita conversar com… os trabalhadores.