Greve obriga Sintego a abortar ato de desagravo em favor de Delúbio, fundador da entidade

O Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Goiás (Sintego) foi obrigado a abortar o ato em desagravo que faria ao ex-professor – e hoje mensaleiro – Delúbio Soares, membro histórico da entidade. O cancelamento ocorreu em função da greve que já dura 24 dias.

De acordo com informações de professores, o ato celebraria a “nova chance” que Delúbio vai ganhar no Supremo Tribunal Federal (STF) graças à decisão dos ministros da Corte de refazer o julgamento.

A ideia de promover a homenagem teria partido da presidente do sindicato, Ieda Leal (pré-candidata a deputada estadual pelo PT), e pela tesoureira, Bia de Lima.