No Jornal Opção, Talles não aceita comparação com Samuel Belchior: “Quem teve a casa vasculhada foi ele, não eu”

Em entrevista ao Jornal Opção, o deputado estadual Talles Barreto (PTB), que aparece em conversas telefônicas na Operação Tarja Preta, que investiga fraudes em compras de medicamentos por Prefeituras goianas, não aceitou ser comparado ao seu colega, Samuel Belchior, do PMDB, que foi indiciado pelo inquérito da Polícia Federal que desbaratou uma quadrilha que desviava recursos de fundos de pensão municipais – a Operação Miqueias.

Talles reafirma que não é alvo do inquérito da Operação Tarja Preta. Que não é investigado. Que a sua situação é bem diferente da situação de Samuel Belchior, alvo de um pedido de prisão temporária e bloqueio de bens, tendo tido a casa vasculhada por agentes da Polícia Federal, com base em um mandado da Justiça Federal.

O que é verdade.

“Eu não tive mandado de busca e apreensão em minha casa. Não fui relacionado no inquérito. Quem tem que responder para a Polícia Federal, é ele (Samuel). E falo aqui, quero enfatizar, quem que tem que justificar para a Polícia Federal é ele, a participação, o histórico das denúncias que foram feitas”, afirma, textualmente, Talles Barreto.

O deputado petebista acusa Samuel de querer embaralhar a repercussão dos dois casos e, com isso, esvaziar a investigação que pode vir a ser feita por uma CPI, na Assembleia. “Ele (Samuel) está jogando. Ele quer confundir o meu caso com o dele, mas são casos totalmente distintos. Ele quer abafar o caso dele”, acrescenta.

Veja a entrevista completa de Talles Barreto no link:

http://jornalopcao.com.br/posts/ultimas-noticias/entrevista-talles-barreto-eu-sei-que-e-um-jogo-politico-o-que-estao-fazendo-comigo