Editorial de O Popular tem dia de conselheiro Acácio e afirma que “errado mesmo é persistir no erro”

No livro O Primo Basílio, aliás uma obra prima, o português Eça de Queiroz cria e apresenta ao leitor uma personagem inesquecível da literatura: o conselheiro Acácio, especialista em frases vazias, chavões e obviedades cabeludas.

Nesta quarta-feira, o jornal O Popular, em seu editorial condenando a Câmara Municipal de Goiânia pela decisão de suspender o trabalho dos vereadores até a semana que vem, inclui uma pérola do mais puro estilo acaciano.

“Errado mesmo é persistir no erro” garante o editorial, prevenindo a possibilidade da existência de leitores que poderiam supor que “certo mesmo é persistir no erro” e, portanto, fazendo um esclarecimento que o redator do texto julgou necessário.

É por essas outras que se diz: o jornalismo impresso está morrendo, tragado pela internet, mas, muito antes, é o editorial que já morreu.