Pergunta simples: Por que Clécio não trabalha direitinho ao invés de ficar criando polêmica e desgaste para a Câmara Municipal?

O que esperar de um presidente de uma Casa Legislativa: prudência, jogo de cintura, parcimônia, habilidade política e inteligência. É tudo que Clécio Alves não tem e não coloca em prática no seu cargo de presidente da Câmara Municipal.

O peemedebista já coleciona desgastes pesados com os colegas vereadores e agora é inimigo número 1 dos professores da rede municipal. Clécio acusou os grevistas de depredarem o plenário e causarem prejuízos avaliados em R$ 300 mil.

Isso foi na lata. Na segunda-feira, no dia em que os professores desocuparam o plenário. Pareceu um ato de vingança. E assim foi interpretado pela categoria dos profissionais da educação.

Depois, Clécio tentou disfarçar e falou que os prejuízos ainda seriam avaliados. Mas, o estrago já havia sido feito. O comando de greve divulgou nota chamando Clécio Alves de mentiroso.

Além dessa briga desnecessária com os professores, o peemedebista acumula as trapalhadas administrativas. Tentou emplacar um reforma milionário e sem cabimento no prédio da Câmara, tem seu nome envolvido numa suposta irregularidade de licitação para dedetização da Casa e comandou o processo que culminou na punição de censura pública o vereador Djalma Araújo (SDD).

Diante de tanto equívoco, a imagem do Legislativo municipal é cada vez mais arranhada. Tanto que ninguém sentiu falta da Câmara no período em que não houve sessão devido à ocupação dos professores.

E aí, Clécio você sempre vai preferir o confronto e o desgaste ao invés de apenas cumprir seu papel como presidente da mais importante Câmara de Vereadores do Estado?