Caso Hypermarcas: Djalma não cede e continua impasse com o presidente Clécio

Leia matéria publicada no site do Jornal Opção:

Continua impasse entre Djalma e Clécio Alves quanto obras do Hypermarcas

Grupo está construindo novo centro de distribuição. MP requereu na Justiça que obras sejam paralisadas e presidente da Casa apresentou representação contra petista

Mônica Carvalho

“Lamento ter de dizer que um parlamentar não pode usar a prerrogativa que lhe é de direito para contestar algo que é ilegal.” Com essas palavras, o deputado Djalma Araújo (PT) encerrou mais um discurso acalorado na Câmara Municipal de Goiânia , durante sessão ordinária na manhã desta terça-feira (19/3). O parlamentar voltou a defender a paralisação das obras de expansão do centro de distribuição do grupo Hypermarcas – que teve pedido de medida cautelar expedido pela 7ª Promotoria de Justiça de Goiânia com o objetivo de impedir o avanço das obras.

Na última semana, Djalma e o presidente da Casa, Clécio Alves (PMDB), que é a favor do empreendimento, se desentenderam. O petista, que apresentou um requerimento para que houvesse uma audiência pública, antes da continuação das obras, trocou farpas com o peemedebista, que pediu vistas da petição.

Devido ao seu comportamento nos últimos dias e possíveis embates com lideranças da legenda, a Executiva municipal do PT se reuniu nesta segunda-feira (18/3) para tratar possíveis punições ao parlamentar. Na ocasião, foi criada uma comissão para elaborar um processo administrativo contra o petista.  reunirá nesta sexta-feira (22). Se os parlamentares entenderem que houve quebra de decoro parlamentar, o caso irá ao Conselho de Ética.

Em coletiva à imprensa, o parlamentar afirmou que a conduta dele na Câmara é partidária, em defesa dos interesses do partido e se defendeu: “Algumas pessoas da Executiva do partido, que não gostam de mim, pela minha atuação e pela minha seriedade em fazer política, ficam procurando coisa onde não existe. Jamais ficarei calado e estou disposto a reagir. A Constituição me permite o direito de legítima defesa”.

O vereador ressaltou que respeita a Executiva do PT, que não há embates da parte dele para com a direção da legenda e que não mudará seu comportamento na Casa. “Eu fui eleito para tratar dos interesses do povo e não dos interesses dos grandes grupos econômicos da cidade”.

Ainda sobre a discussão com Clécio Alves, em tom de ironia, Djalma disse esperar que o peemedebista cumpra sua com palavra e “tenha coragem de levá-lo ao Conselho de Ética”. “Estou aguardando o Conselho de Ética e vou responder no mesmo tom e no mesmo nível”, complementou.

Na próxima quinta-feira (21) o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara vai se reunir para discutir a representação feita pelo presidente da Casa, apresentada nesta terça-feira, em desfavor do petista