Melhor que Walter: Túlio deita e rola de verdade na Assembleia e diz que oposição “perdeu o rumo”

Aproveitando a boa onda do governo Marconi Perillo, aliada à incompetência da oposição com sua retórica aguçada e senso de humor apurado, o deputado Túlio Isac deita e rola na Assembleia.

Mas deita e rola, mesmo, ao contrário do que prometeu o roliço Walter, ídolo do Goiás.

Veja o registro da página na internet do Jornal Opção, atestando o passeio de Túlio em Bruno Peixoto:

 

Túlio Isac critica Bruno Peixoto e diz que oposição “perdeu o rumo”

Dentro do plenário, local que deveria ser de discussão de questões pertinentes para a sociedade goiana, a troca de farpas entre partidos continua

Sarah Teófilo

Assim como no plenário da Câmara Municipal, o “bate-boca” na Assembleia Legislativa é interminável. O local, que deveria ser para discussão das melhores medidas para a população, se tornou um ringue repleto de engravatados. Em sessão no plenário nesta quinta-feira (31/10), mais uma vez o deputado Túlio Isac (PSDB) subiu na tribuna para defender o governo do Estado. Desta vez afirmou que a oposição “perdeu o rumo”. O tucano disse isso após o parlamentar Bruno Peixoto (PMDB) expor que apresentou um projeto de lei que proíbe a cobrança de pedágio ou taxas em rodovias estaduais construídas com recursos do tesouro estadual.

O peemedebista explicou que acredita ser um absurdo cobrar pedágio da população se os recursos já são do tesouro público. “É um absurdo fazer uma estrada com dinheiro do erário e depois cobrar da população pelo uso. Ao pagarmos pelo IPVA, entendo que pagamos anualmente pela conservação das rodovias.”

Túlio Isac viu a opinião de Bruno Peixoto como uma afronta à base governista, e ao acusar o peemedebista de ter “perdido o rumo”, pareceu ter ele mesmo se perdido.  De acordo com ele, “a oposição critica pedágio que ainda nem existe”. Em seguida, afirma que as críticas devem ser direcionadas ao governo federal. “A Dilma também ofereceu rodovias para gestão privada, e nada se fala sobre isso.” O tucano ainda sustentou que “a oposição fica procurando motivos para desconstruir o governo de Marconi Perillo”. “Vocês criticam tudo o que o PSDB faz”, afirmou.

Entre peemedebistas e tucanos

O PSDB e a base aliada não perdem tempo, e se encontram desde agosto deste ano, sendo que cada sábado o encontro é em uma cidade do interior de Goiás diferente. Já o PMDB continua fazendo (ou tentando fazer) suas alianças. A última reunião com o PT, para debater o futuro da aliança entre os partidos, foi na última segunda-feira (28/10), e terminou sem decisões concretas. Enquanto isso, os tucanos aproveitam para criticar os peemedebistas, e falar que a sigla está fraca.

As brigas dentro do PMDB entre os pré-candidatos ao governo do Estado enfraquece a sigla perante os goianos. Ivan Ornelas, com todos os seus depoimentos polêmicos quanto à integridade de seus correligionários, principalmente o também pré-candidato Júnior do Friboi, prejudica a imagem da legenda. O possível aliado PT é contrário às prévias. Uma reunião está marcada para o próximo dia 11 para “começarem a decidir”, segundo o presidente Samuel Belchior, se haverá ou não prévias. O tempo continua correndo.