Vacarezza, algoz de Marconi na CPI do Cachoeira, aparece na lista de propinas da Máfia do Asfalto em SP: R$ 355 mil

Um dia é o da caça, outro é o do caçador.

Neste sábado, os jornais de todo o país trazem a lista de políticos que recebiam propinas da Máfia do Asfalto, um esquema de corrupção que desviava recursos federais destinados a obras de pavimentação em municípios brasileiros.

E quem encabeça a lista? O deputado federal Cândido Vacarezza, do PT, que era o líder do Governo na Câmara Federal na época da CPI do Cachoeira e se desdobrou na tentativa de envolver o governador Marconi Perillo – com declarações quase diárias à imprensa atacando e caluniando Marconi.

No final dos trabalhos da CPI, nada resultou provado contra o governador goiano. Sequer foi produzido um relatório conclusivo.

A lista dos propineiros da Máfia do Asfalto foi feita por um empreiteiro, Olívio Scamatti, controlador do grupo DEMOP, um dos principais beneficiados com emendas parlamentares cujo objetivo era o asfaltamento de ruas nos municípios.

O esquema foi desmontado pela Operação Fratelli, da Polícia Federal, que apreendeu uma planilha onde o nome do ex-líder do Governo, Cândido Vaccarezza, aparece em destaque.

Ele é tido como o maior beneficiário, tendo, segundo a planilha, recebido R$ 355 mil entre janeiro de 2011 e junho de 2012 em 16 repasses.