Gomide e Madureira puxam sardinha para a brasa deles, defendendo projetos novos, mas também não detalham propostas

Em entrevistas ao jornalista Jarbas Rodrigues, Antônio Gomide e Edward Madureira batem na mesma tecla de toda a oposição: falam de nomes para a sucessão estadual de 2014, mas não passam nem de longe pelo debate de propostas para o Estado.

No caso dos dois, é pior ainda: eles defendem projetos novos para a eleição porque isso os beneficia. Os dois podem ser considerados “novos”.

Mas, repetindo o erro dos outros candidatos da oposição, também não defendem ideias e projetos para Goiás.

Veja post de Jarbas Rodrigues:

Gomide e Madureira defendem projeto novo para 2014

O prefeito Antônio Gomide (Anápolis) e o reitor Edward Madureira (UFG), ambos do PT, defendem que a oposição lance um projeto novo para disputar o governo estadual em 2014. Mas reconhecem dificuldades políticas, principalmente no principal aliado, o PMDB, onde existe disputa entre os grupos de Iris Rezende e de José Batista Júnior pela vaga de candidato a governador. O prefeito é lembrado para uma candidatura ao governo e Madureira para ocupar uma das três vagas na chapa majoritária. Dificilmente haverá duas vaga para o PT e o reitor da UFG afirma que seu projeto deve ser uma candidatura a deputado federal. Já Gomide, para ser candidato em 2014, precisa renunciar ao mandato de prefeito até a primeira semana de abril. Para isto, será importante que antes tenha uma definição do projeto da oposição para a sucessão estadual.

Gomide defende que a aliança PT e PMDB, que estaria “consolidada”, seja ampliada para todos os partidos de oposição em Goiás e que a definição do projeto seja até março. “Não podemos cometer os mesmos erros das eleições de 2006 e 2010”, me disse o prefeito Gomide na sexta-feira, como destacamos na coluna Giro de sábado. Em 2006, o então candidato ao governo Maguito Vilela (PMDB) foi pressionado por lideranças do seu partido para vetar o nome que o PT indicou para ser seu vice. A aliança não prosperou e a oposição perdeu para Alcides Rodrigues (PP). Em 2010, PMDB e PT não ampliaram a aliança em torno da candidatura de Iris Rezende, que perdeu para Marconi Perillo (PSDB) no segundo turno. Lideranças do PT e do PMDB tentam, para 2014, convencer o empresário Vanderlan Cardoso (PSB) se aliar ao grupo e desistir de encabeçar uma terceira via em Goiás.

“Acho que vamos ter definições no quadro estadual só em março. Avalio que o eleitorado goiano, pelas pesquisas, deseja um projeto novo, mas não sei até que ponto as estruturas partidárias consolidadas estão abertas para esta possibilidade”, afirma Madureira.