Perto de completar 6 meses como presidente da Fundação Ulysses, dona Iris ainda não lançou nenhuma proposta para Goiás

Daqui a 10 dias, em 17 de novembro, a deputada federal dona Iris Araújo completará seis meses como presidente estadual da Fundação Ulysses Guimarães, órgão nacional de estudos e pesquisas do PMDB.

Ela assumiu o cargo, em 17 de maio último, anunciando que se dedicaria a produzir um plano de Governo que o seu partido, o PMDB, pudesse apresentar ao povo goiano para justificar a sua volta ao poder.

Em tese, a Fundação Ulysses tem recursos (garantidos pelo Fundo Partidário) para promover seminários, contratar consultorias e pesquisas, promover eventos e, enfim, bancar um processo de discussão de ideias que possam servir para um projeto para o futuro de Goiás.

Mas, em seis meses de presidência, dona Iris não deu um passo nesse sentido. Ele continua gastando todo o seu tempo com um programa de culinária na TV e discursos, entrevistas e posts nas redes sociais com baixarias contra o governador Marconi Perillo.

Seis meses no comando da Fundação Ulysses e nada de ideias, propostas, projetos, planos ou qualquer providência que sinalize um mínimo de preocupação com o conjunto da sociedade e a elaboração de uma visão de futuro para o Estado, por conta do PMDB.

Cadê as propostas, dona Iris?