Turma dos direitos humanos apoia assassino de policial civil, mas não dá solidariedade à família da vítima. Pode?

Um dos suspeitos participar do assalto e morte do policial civil Cláudio Gonçalves Dias, de 44 anos, nas proximidades do Lago das Rosas, no Setor Oeste, em Goiânia, na tarde da última terça-feira (5/11), se apresentou ao MP, na quinta-feira.

Ele alegou estar receoso de ser morto.

Jefferson Diego Gaspar Mello Guimarães, de 25 anos, se apresentou acompanhado por uma equipe dos Direitos Humanos.

A mesma turma que não prestou solidariedade à família do policial executado.

Absurdo.