Boa. Fabiana finalmente vai bem. Artigo desta segunda acerta na mosca e expõe a incoerência de Iris

A repórter política Fabiana Pulcineli acerta o centro do alvo ao abordar, no seu artigo desta segunda-feira, em O Popular, a incoerência do ex-prefeito Iris Rezende ao defender a postergação da escolha do candidato do PMDB ao Palácio das Esmeraldas em 2014. É, sim, o tema correto da semana.

Fabiana abre o artigo com quatro declarações textuais de Iris, em 2009, defendendo a antecipação da escolha do candidato às eleições de 2010. Na época, Iris tinha interesse em afastar Henrique Meirelles da disputa – e, quanto mais tarde se desse a decisão, melhor seria para ele, Meirelles, que assim permaneceria no BC até a última volta do ponteiro.

Hoje, Iris faz exatamente o contrário. Ele empurra a escolha para o ano que vem, a poucos meses da eleição, com o objetivo – mais uma vez atendendo aos seus interesses pessoais – de esvaziar a postulação do empresário Júnior Friboi, que não cresce na pesquisas e vê o seu nome enfraquecer a cada dia.

O que agora defende como conveniente (a postergação da escolha do candidato do PMDB), Iris apontava como prejudicial ao partido, em 2009. Fabiana publica até as frases dele, tipo “acho muito difícil para qualquer partido escolher um candidato apenas seis meses antes da eleição. O candidato não teria tempo nem para planejar uma campanha e muito menos para planejar um governo”.

São palavras textuais de Iris, o sr. Incoerência. Claro, para impor os seus interesses pessoais ao PMDB.