Wolmir Amado, reitor da PUC Goiás, caiu na conversa fiada da Casa de Vidro e fez até elogios à obra – que não saiu do papel

O reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Wolmir Amado, caiu no conto do vigário da Casa de Vidro: ele foi uma das autoridades que compareceram ao lançamento da obra, em 21 de dezembro de 2010, quando o secretário municipal Leodante Cardoso (aquele dos jetons milionários denunciados pelo vereador Elias Vaz no jornal Diário da Manhã) estabeleceu o prazo de conclusão da obra em 10 meses., falando em nome do prefeito Paulo Garcia..

Wolmir sentou-se ao lado do casal Iris Rezende-dona Iris Araújo. Mais tarde, no informativo Flash UCG, a assessoria de imprensa do reitor postou fotos do evento e afirmou que “a Casa de Vidro vai facilitar o acesso da comunidade à cultura e estimular a difusão artística da região do Cerrado”.

E não apenas isso. O redator da PUC ainda escreve: “A Casa de Vidro será uma obra magnífica, que se firmará como ponto turístico local e marco inicial de city tour panorâmico, como destacou a autora, deputado federal Íris de Araújo, do PMDB”.

Na foto, publicada com destaque no informativo da PUC, o reitor Wolmir Amado aparece ao lado da deputada dona Iris Araújo, a “autora” do projeto da Casa de Vidro, segundo o texto.

Prestes a completar três anos desde o lançamento da obra, nada foi feito. O local escolhido, próximo ao Shopping Flamboyant, não passa de um buraco tomado pelo mato.