Leia, compare e veja o tamanho do vexame: Lênia diz que há arestas entre Paulo e Iris, é censurada, volta atrás e defende a unidade entre os dois

O blog 24 Horas respeita a inteligência dos seus leitores. Por isso, aí estão, na íntegra, os dois textos da blogueira Lênia Soares: o primeiro, onde ela aponta a existência de arestas em Paulo Garcia e Iris Rezende, foi censurado pelo site Diário de Goiás, onde ela pendura o seu blog; já o segundo, também assinado por ela, desmente o que ela mesmo havia afirmado no texto censurado e vai mais longe ao defender apaixonadamente uma boa relação entre a turma do Paço Municipal e o ex-prefeito.

Compare e tire suas próprias conclusões.

TEXTO CENSURADO

Este é o primeiro texto publicado pela blogueira Lênia Soares. Ficou poucos minutos no ar, sendo retirado do Diário de Goiás. Leia:

Iris vira o vilão da história na Prefeitura de Goiânia

Escrito por Lenia Soares – Publicado em 13 Novembro 2013.

Aliados próximos ao prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), encontraram um culpado para a falta de recursos e consequente dificuldade no cumprimento de promessas de campanha: o ex-prefeito Iris Rezende (PMDB).

Apesar de o assunto ser tratado com reserva, não é mais segredo o que está na boca de petistas e até alguns peemedebistas que trabalharam na gestão passada.

O “custo Iris”, que investiu pesado para cumprir a promessa de asfaltar todas as ruas que faltavam em Goiânia e para fazer obras grandes como o viaduto da T-63, é apontado como o responsável por hoje Paulo Garcia ter recursos reduzidos para tocar a administração.

O prefeito evita o assunto diretamente porque entende que só é prefeito por causa de Iris. Segundo seus aliados, porém, Paulo Garcia estaria sofrendo calado com a ‘herança maldita’ deixada por Iris.

E a queixa não é recente. Um peemedebista, incomodado com a situação interna, ressalta que a justificativa dos petistas é dada desde o início da gestão. Antes mesmo de esfriar os ânimos dos excessos prometidos, encontraram no ex-prefeito a causa primária de seus futuros problemas.

Uma solução que tem sido comentada no Paço Municipal é a desincompatibilização de Paulo Garcia no próximo ano.

Ainda que não seja um nome favorito para as eleições de 2014, não seria também o principal alvo de críticas no período eleitoral. No caso, restaria ao vice-prefeito, Agenor Mariano (PMDB), os transtornos da gestão petista, sem benefícios.

 

NOVO TEXTO, CONTRADIZENDO O ANTERIOR

E este é o novo texto da blogueira, onde ela engole o que disse na matéria censurada v(essa que vc acabou de ler) e chega a defender ardorosamente o estabelecimento de uma relação harmoniosa entre a turma de Paulo Garcia e o ex-prefeito Iris Rezende. Leia:

Oposição: defender Paulo Garcia é defender unidade com Iris e cia. Objetivo é vencer já o ‘fogo amigo’

ESCRITO POR LENIA SOARES – PUBLICADO EM 14 NOVEMBRO 2013.

O primeiro teste da unidade PT-PMDB nesta nova fase em que os dois partidos estão abrindo diálogo mais direto (após eleição do novo presidente petista, Cesar Donisete) será a defesa aberta e categórica da administração do prefeito petista Paulo Garcia.

O raciocínio é simples: a administração não é do PT apenas, e sim dos dois partidos. Se Paulo Garcia vai bem, o ex-governador e ex-prefeito Iris Rezende(PMDB) também vai bem para ser o candidato ou definir quem será.

O reforço da aliança entre as duas legenda passa, assim, pelo fortalecimento político do prefeito da Capital. O fato de o bombardeio à administração estar intenso significa que o adversário – o governador Marconi Perillo (PSDB) – está agindo em um momento de dificuldade não apenas local, mas que tem efeito em boa parte dos municípios brasileiros.

A defesa de Paulo Garcia é a defesa da oposição. Assim como a defesa de Júnior do Friboi, Iris e outros nomes que estão sob ataque ‘inimigo’ agora é estratégico para a consolidação da unidade e da chapa para o ano que vem.

Oposicionistas incumbidos da tarefa de agir pela unidade ampla, com discurso e ação comum, argumentam que o principal adversário do grupo no ano que vem não é o govenador tucano, que está desgastado e, ainda que cresça na avaliação administrativa, sofre o que definem como ‘fadiga política’.

O principal adversário da oposição é o fogo amigo. Vencer as diferenças internas é o primeiro passo para a construção da vitória em 2014.

Assim, a estratégia oposicionista, como definiu Ceser Donisete em entrevista ao Jornal Realidade, será a de um por todos, com todos caminhando contra um.foto l