Alô, Marcus Vinícius: Delúbio parabeniza DM por resistir a “boicotes econômicos”

Em artigo distribuído hoje à imprensa, o mensaleiro e ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares deu uma canelada no amigo Marcus Vinícius Faria Felipe – mas sem citar o seu nome.

Delúbio redigiu um texto inteiro para homenagear o jornal Diário da Manhã por seus 33 anos de fundação e para remeter elogios ao seu editor-chefe, o jornalista Batista Custódio.

A bofetada de Delúbio no amigo aparece no último dos dez parágrafos do artigo, quando ele lembra que o DM sobreviveu a todos os golpes recebidos, “às tentativas de intimidação e censura, aos boicotes econômicos, às concorrências desleais, às pressões políticas e aos sofrimentos e tragédias pessoais”.

O próprio Batista – bem como todos que circulam no meio jornalístico em Goiás – sabem que o último grande ato de boicote econômico partiu de Marcus Vinícius, quando ele era presidente da Agência Goiana de Comunicação (Agecom).

Naquela época, Batista apoiava Marconi Perillo (PSDB) na eleição para governador. O jornalista viveu dias difíceis por resistir ao assédio moral de Marcus Vinícius, que fez tudo o que podia – e o que não podia – para convencer o editor-chefe do DM a apoiar Vanderlan Cardoso (PR) ou Iris Rezende (PMDB).

Como a pressão verbal não funcionou, Marcus Vinícius tentou estrangular o jornal. Cortou todas as mídias e assombrou empresas que anunciavam na publicação.

Trocando em miúdos, moveu montanhas para fechar o DM, mas não conseguiu.

Seus atos ficaram para história. E serão para sempre contados às gerações futuras – seja por amigos, como Delúbio, seja por adversários.