Na “esteira da lama”: Friboi, Lula, casal Iris e Paulo tiveram maus momentos em 2013

A esteira da fama é desejada por muitos políticos. Estar nas manchetes do noticiário encanta e traz bons dividendos para aqueles agentes políticos que conseguem caminhar em consonância com o anseio popular.

Em Goiás, muitos ficaram encalhadas na “esteira da lama” – depois do Túnel Lavajato e Mutilama, então, nem se fala – por justamente escolherem caminhos e comportamentos avessos ao que o povo exige.

A gente aina pega de rebarba Lula. O livro bomba de Tuma Jr. revela que no governo do petista havia uma central de produção de dossiês falsos e uma das vítimas foi Marconi.

Listamos outras personalidades que ficaram atoladas na lama:

Jr. Friboi: ele já foi do PSDB, já quis ser vice de Marconi, mas hoje quer ser governador a qualquer custo e passou 2013 todo sem apresentar uma proposta decente. Só blablablá e conversas que exaltam sua conta bancária.

Iris Rezende: foi ele quem mandou o povo votar em Paulo Garcia. No entanto, o cacique se omitiu nas piores crises da prefeitura: Plano Diretor, salário dos professores e, principalmente, no aumento do IPTU. Iris ficou calado e deu um péssimo exemplo.

Dona Iris: repetiu o repertório de anos anteriores e insistiu na oposição raivosa ao governo, transformando seu Twitter numa barça de impropérios, não fez nada de relevante na Fundação Ulysses Guimarães e ainda obteve ranking pífio na lista dos melhores do Congresso

Paulo Garcia: esse bateu o recorde; Plano Diretor, supersalários da Comurg, rolo compressor na Câmara, salários dos professores, Túnel Lavajato, buraqueira nas ruas, viagem bizarra aos EUA e pra fechar o aumento abusivo do IPTU