Pablo Kossa protesta contra pagamento de estacionamento em shopping. “É um absurdo”, diz

Pagar estacionamento em shopping é absurdo

Veja artigo de Pablo Kossa, publicado no site A Redação:

Consumo deveria isentar a cobrança

Acompanhando a revolta pelo novo método de cobrança do estacionamento do shopping Flamboyant, tenho um questionamento ainda mais profundo: pagar estacionamento quando você vai consumir algo é absurdo.

Até entendo cobrar pela vaga caso a pessoa não tenha comprado nada no local. Afinal de contas, o que não falta no mundo é gente folgada. Pessoas que usam o estacionamento dos estabelecimentos comerciais para resolver outros problemas nas redondezas são mais que comuns. Os exemplos dos supermercados Extra da Avenida Portugal e Walmart da Independência estão aí e não me deixam mentir.

O método aplicado por esses dois estabelecimentos é bem interessante. Conforme o valor gasto, você tem direito a um tempo maior de gratuidade para deixar seu carro. Caso não gaste nada, paga o estacionamento. É bem justo.

O absurdo da história é você gastar uma nota preta algumas vezes no shopping, comprando computador, celular, móvel ou o que quer que seja, e os caras não fazerem uma graça liberando seu carro da infame taxa. Ridículo.

“Ah, mas já foi julgada legal”. “Ah, mas no mundo inteiro é assim”. “Ah, mas ninguém é obrigado a pagar, basta não ir ao local”. Está tudo certinho, não tenho dúvidas disso. O ponto é que nada disso exclui o fato de que continua sendo absurdo pagar estacionamento caso você consuma no estabelecimento.

Eu tenho minhas táticas para fugir desses pagamentos inglórios. No Bougainville, paro nas ruazinhas do Marista depois da Tribo do Açaí. No Goiânia Shopping, estaciono ao longo do Vaca Brava. Quase nunca vou ao Flamboyant, mas ali não sei a manha de fugir do pagamento. Quando está chovendo, não tem jeito. O lance é morrer naqueles reais mesmo.

Acredito que essa repercussão negativa da mudança do Flamboyant é momentânea e, no final das contas, não irá alterar o fluxo do caixa do shopping. Quando foi instituída a cobrança, a gritaria foi a mesma. Não vejo os corredores dos estabelecimentos mais vazios anos depois da implementação.

É só questão de baixar a poeira para que todos se habituem e não percebam mais essa maldita taxa pesando nos combalidos orçamentos. O tempo também transforma toda raiva em quase nada.

Mesmo assim vou continuar com minha convicção de que pagar estacionamento quando você consome algo em um comércio é um absurdo.