2013, o ano que significou fim do Sintego como entidade que defende os professores

O ano de 2013 começou com o Sintego reinando absoluto no movimento dos professores de Goiás.

Ninguém imaginava que uma reação estava sendo gestada de forma silenciosa.

Agindo como pelego do PT, o sindicato comandado por Ieda Leal e Bia, sob os auspícios do deputado Mauro Rubem, impedia que os professores municipais se manifestassem contra Paulo Garcia.

De repente, quando ninguém esperava, os mestres do Município acordam, ocupam a Câmara, fazem greve e sepultam o peleguismo do Sintego.

2013 terminou com o Sintego desmoralizado totalmente.